Vídeos

Está obedecendo a uma tela? Desligue o Automático, convida a Bienal

Os algoritmos se tornaram tão presentes na vida das pessoas que são capazes de influenciar centenas de decisões tomadas diariamente, sem sequer serem percebidos. Com os olhares fixos nos celulares, desktops, TVs e demais telas, as pessoas são impactadas por fórmulas matemáticas que ajudam a criar um padrão sobre filmes ou séries que assistem, produtos que compram e caminhos que tomam para ir a determinado lugar. Em meio a esse bombardeio de informações, as pessoas acabam fazendo sempre as mesmas coisas, sem ter controle sobre diversos aspectos de sua vida. Que tal, então, sair dessa bolha?

Em sua 33a edição, a Bienal de São Paulo, que ocorre entre 7 de setembro e 9 de dezembro, em São Paulo, com entrada gratuita, faz um convite à reflexão através da campanha “Desligue o Automático”, criada pela agência Tech and Soul. A ação está sendo planejada desde março, e é composta por um comercial de grande impacto, com exibição em horários nobres da TV, diversas peças para veículos impressos e mídia out-of-home que tem a missão de reforçar a mensagem e o conceito da campanha e ações de geolocalização para quem estiver próximo ao evento, dentre outras iniciativas.

O objetivo desse esforço de comunicação é mostrar às pessoas que, indo à Bienal, elas vão “desligar o automático”, se inspirar ao ver coisas novas e ampliar seus horizontes. No final das contas, vão retomar a capacidade de decidir por si próprias se gostam ou não de alguma coisa. “A campanha nos provoca sobre a importância que estamos dando aos algoritmos em nossas vidas. Vivemos na era da atenção e precisamos questionar se não está na hora de mudar um pouco alguns hábitos que adquirimos com a tecnologia. E a arte, representada pela Bienal, serve justamente para esse tipo de reflexão”, afirma Flavio Waiteman, sócio e CCO da Tech and Soul.

“A arte tem a capacidade de fazer um convite a sairmos de nossas bolhas e tomarmos consciência sobre nossa atenção. Temos que reprogramarnossos cérebros para nos livrarmos do domínio dos algoritmos. Passar algumas horas na Bienal é um ótimo exercício para se reconectar consigo mesmo”, completa Waiteman.

 O filme da campanha “Desligue o Automático”, executado em parceria com a Zeppelin e Jamute, trabalha com a tensão de pessoas “dominadas” pelas telas de seus celulares, e esquecem de seus familiares durante um jantar, ou de prestar atenção no caminho do carro, dentre outras situações corriqueiras e familiares a todos. A trilha sonora do filme surge como aspecto criativo que reforça o poder da tecnologia e dos algoritmos sobre os que estão “dentro na bolha”. No final, imagens calmas do ambiente Bienal fazem um contraponto e despertam o interesse no evento. Em paralelo, diversos anúncios de mídia impressa e out-of-home, que tem como fundo telas de celulares quebradas, trazem mensagens que convidam as pessoas à reflexão e, claro, a uma visita à Bienal.

Além disso, plataformas como Waze, Facebook e Instagram, às quais as pessoas certamente estarão conectadas, vão compor uma forma de comunicação baseada em geolocalização e inteligência de algoritmo, convidando as pessoas que estão na região próxima à Bienal – que ocorre no Pavilhão Ciccillo Matarazzo, no Parque Ibirapuera – a visitar o grande evento das artes brasileiras. “O curioso é que se trata de um paradoxo fazer ação de geolocalização em uma campanha que pede às pessoas que se desliguem dos celulares. O objetivo é mostrar o quanto ir à Bienal pode ser algo bom naquele momento. É um ambiente democrático, aberto a todos, e que pode ajudar no questionamento e reflexão sobre a importância de termos o controle sobre nossas decisões”, conclui Waiteman.

O plano de mídia inclui TV aberta e fechada, mídia out-of-home, rádio, cinema, painéis no metrô e aeroportos, anúncios em veículos de mídia impressa e peças digitais. Todos os componentes integrados pelo conceito “Desligue o Automático” estarão em veiculação entre 7 de setembro e 9 de dezembro, justamente o período em que ocorre a Bienal.

Ficha técnica

Agência: Tech & Soul

Cliente: Fundação Bienal de São Paulo
Título: “Desligue o Automático”

Diretor de Criação: Flavio Waiteman

Diretor de Arte: Guga Dias da Costa, Paulo Ottaviani

Redatores: Flavio Waiteman, Filippe Pacheco, Fernando Souza, Paulo Maia

Atendimento: Claudio Kalim, Fernando Amino, Manuela Papa

Mídia: Luis Monteleone, Luiz Gustavo Vieira

RTV: Oswaldo Zanetti

Produção: Rogério Gonçalves

Aprovação do Cliente: Luciana Guimarães, Felipe Taboada, Caroline Carrion

Produtora de Vídeo: Zeppelin Filmes

Produtor Executivo: Ricardo Baptista da Silva

Direção: Robert Orlich

Direção de Fotografia: Robert Orlich

Direção de Produção: Guilherme Andrade

Direção de Arte: Cacá Montagnana

Cor: Psycho n’look

Finalização: Bóson Post

Produtora: Jamute

Produtor: James Pinto, Eliezer Borges e Leck Gomes

Anúncios

1 comentário em “Está obedecendo a uma tela? Desligue o Automático, convida a Bienal

  1. Excelente campanha, com um questionamento relevante e atual. Achei o filme foi muito bem feito e gostei de como cria uma tensão crescente. Faz pensar, e também é um ótimo convite para visitar a Bienal 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: